Home

SENAC/MA

Cursos Profissionalizantes no Maranhão.

98 3198.1515

   Maranhão

13 de maio de 2016, 12:36 - Por Assessoria de Comunicação

Turma de Manicure e Pedicure cria projeto de Salão de Beleza com acessibilidade

IMG_20160513_082457182Muitas vezes pessoas com limitações físicas, auditivas e visuais não têm acesso a diversas instituições como as de saúde e educação por ausência de adaptações necessárias para o convívio social. Pensando nisso, as alunas de Manicure e Pedicure do Programa de Inclusão Social do Senac criaram um modelo de salão de beleza adaptado para pessoas com essas limitações. Rampas, equipamentos com encaixes para cadeiras de rodas e a regulação de alturas, por exemplo, foram algumas das adaptações necessárias para pensar nesse salão, apresentado através do Projeto Integrador “Salão de Beleza: sem acessibilidade não há inclusão”, na Associação Liga pela Vida, no Maiobão.

O objetivo do projeto foi sensibilizar a comunidade local e proprietários de salões de beleza quanto à necessidade de adequação de suas instalações para melhor atender pessoas com deficiência, em especial, no bairro em que o curso é desenvolvido. Foram levados em consideração também a percepção e entendimento para a utilização, com segurança e autonomia de edificações, espaços, mobiliários, equipamentos urbanos meios de transportes e comunicação.

IMG_20160513_082723180

A coordenadora da Associação Liga pela Vida, Leninha Monteiro, tornou-se uma pessoa com deficiência após um tempo, e acredita que a beleza está muito ligada à rotina do mulher com deficiência. “É uma descoberta, um mundo novo, mas para nós, mulheres, frequentar salões de beleza é uma prática comum e que deve ser vivenciada por todas, sejam elas com deficiência ou não”, destacou.

Os alunos do curso buscaram através de suas pesquisas in loco, entrevistas e estudos, sensibilizar a comunidade e os proprietários de salões de beleza acerca das necessidades de atender este público, não somente com adequação de suas instalações, mas com a garantia de assistir de forma respeitosa e humana àqueles que ainda se sentem à margem desse processo de inclusão.

Compartilhe: